Animadoras Socioculturais

 

Nome: Andreia Guerra e Liliana Faria
Função: Animadoras Socioculturais
Descrição: O Agrupamento Vertical de Escolas Ordem de Sant’Iago conta com a participação de 2 animadoras socioculturais a exercer funções nas nossas escolas ao abrigo do Projecto TEIP II, a Andreia Guerra, integrada no projecto TEIP II no ano lectivo 2008/2009 e a Liliana Faria integrada no projecto no ano lectivo 2009/2010. O Animador Sociocultural em contexto escolar procura promover um bom clima relacional na escola onde se possa proporcionar aos alunos um ambiente de motivação, exigência e gratificação tornando em última instância a escola mais activa, fundamentada na formação cívica e numa cultura de paz e de diálogo. Pretende-se igualmente com a sua intervenção a integração plena dos jovens na escola, contribuindo para a criação de um ambiente escolar onde todos se sintam impelidos a participar. O trabalho da Animadora tem como objectivo o desenvolvimento de actividades sócio-educativas, culturais e desportivas, estimulando a participação activa dos alunos nas mesmas. O trabalho desenvolvido assenta no estabelecimento de relações interpessoais informais com os alunos, nos intervalos e nos seus tempos livres, podendo assim desenvolver nas relações, valores como: a auto-estima, a confiança, o respeito mútuo e a responsabilidade, visando em última instância a plena integração dos alunos na sociedade, como cidadãos autónomos, justos e organizados. Para que o Animador possa concretizar os objectivos gerais e específicos, desempenha as seguintes funções:

  • Estuda, integrada em equipas multidisciplinares, o grupo alvo e o seu meio envolvente, diagnosticando e analisando situações de risco e áreas de intervenção sob as quais actuar;
  • Planeia e implementa em conjunto com a equipa técnica multidisciplinar, projectos de intervenção sociocomunitária;
  • Promove a integração grupal e social;
  • Incentiva, fomenta e estimula as iniciativas dos indivíduos para que estes organizem e decidam o seu projecto lúdico ou social, dependendo do grupo alvo e dos objectivos da intervenção;
  • Fomenta a interacção entre os diferentes grupos culturais da comunidade;
  • Acompanha as alterações que se vão verificando e que afectam o bem-estar do público-alvo, actuando de forma a ultrapassar possíveis situações de isolamento, solidão e outras;
  • Informa a equipa técnica caso se verifique a ocorrência de alguma situação anómala;
  • Elabora relatórios de actividades.